Menu
  • LinkedIn
  • Subcribe to Our RSS Feed
Browsing "Atualidades do Mercado Automotivo"

Entenda Como Funciona a Nova Etiquetagem de Pneus

abr 11, 2016   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

Os pneus no Brasil agora possuem um selo que diz qual é o desempenho deles na água, no consumo de combustível e no nível de ruído.

pneus

Até abril de 2018, o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) obrigará todos os pneus vendidos no Brasil a informar ao comprador como se comportam na água, se ajudam a economizar combustível e quanto barulho fazem ao rodar. A classificação, que é parte integrante do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), é semelhante à que é usada para medir a eficiência energética de carros e eletrodomésticos. A aplicação da etiqueta será gradativa.

Em abril de 2015, a medida passou a valer para os novos modelos – projetos que estiverem estreando no mercado. Em outubro de 2016, entram os pneus que forem importados ou fabricados a partir dessa data. Por último, o prazo de abril de 2018 é a data final para as unidades que estão em estoque nas lojas e ainda não tenham a etiqueta. Na Europa, já existe essa classificação com os mesmos critérios. Aliás, a etiqueta é basicamente a mesma, justamente para facilitar uma eventual exportação dos modelos brasileiros para o mercado europeu.

Para chegar à nova classificação, os pneus serão testados pelo Inmetro e classificados com notas de A a G, sendo A o melhor índice. “É extremamente positivo para o consumidor ter esse sistema de etiquetagem, mas o que se viu na Europa foi que quase todos os bons pneus estão no mesmo nível de notas”, diz Flávio Santana, engenheiro de campo e gerente de produtos da Michelin. Na prática, isso significa que modelos de preço semelhante acabam recebendo a mesma avaliação, dificultando a escolha final. “Não existe uma sintonia fina”, diz. O engenheiro, porém, reconhece que, comparado à falta de informação atual, será de grande ajuda. Ele faz ainda um alerta: “O consumidor quer segurança, mas o que mais pesa na compra mesmo costuma ser a durabilidade. E ela não é medida nesse processo”. Segundo Renato Baroli, gerente sênior de marketing e vendas da Dunlop, a tendência é que a durabilidade dos novos modelos seja cada vez menor. “Isso se deve às exigências de desempenho das montadoras, que aumentam a cada dia.”

 

A NOVA ETIQUETA

nova_etiqueta_pneu

  • Resistência ao rolamento: são sete níveis, sendo que a nota A indica os modelos que economizam mais combustível.
  • Aderência em piso molhado: também em sete níveis, com a nota A oferecendo a melhor aderência na água.
  • Nível de ruído externo: é expresso em decibéis, com divisão em três níveis. São eles: uma onda (até 69 dB), duas ondas (70 a 72 dB) e três ondas (acima de 72 dB).
  • Selo Conpet: mostra que o pneu atende a todas as normas do Programa Nacional da Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural.

Fonte: http://quatrorodas.abril.com.br/

 

Carro elétrico brasileiro sairá do papel

dez 4, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

PodCycle fará turnê pelo Brasil em 2016 e mira economia compartilhada.

podcycle_ficha
Projeto colaborativo começou na Universidade Federal de Santa Catarina.

Depois de 3 anos de estudo e uma campanha de financiamento coletivo que quase “bateu na trave”, um grupo de engenheiros e empreendedores brasileiros conseguiu R$ 75 mil para construir um carro urbano totalmente elétrico para 2 pessoas, em uma plataforma própria.

O primeiro PodCycle terá motor elétrico de 50 kW, o equivalente a cerca de 68 cavalos de potência, que empurrarão o carro a no máximo 100 km/h. Com uma carga na bateria 96V de lítio ele poderá rodar até 100 quilômetros.

O pequeno elétrico brasileiro pesará apenas 650 kg e terá apenas 2,6 metros de comprimento. Mesmo com dimensões reduzidas, será possível levar bagagem razoável no porta-malas de 200 litros.

A iniciativa é de um grupo de pelo menos 19 pessoas de diferentes áreas, que trabalham de forma colaborativa desde uma competição de mecânica na Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis (SC).

Financiamento coletivo
Depois de muito estudo, a ideia precisava de investimento para “pegar no tranco”. Sem muito interesse de grandes empresas, a saída foi lançar uma campanha de “crowdfunding” – a “vaquinha” virtual – para captar R$ 68 mil e finalizar o primeiro protótipo.

Faltando apenas 2 dias para o final do prazo, o valor foi atingido, graças ao apoio de 345 pessoas, que receberão recompensas que vão desde um chaveiro até uma voltinha no carro durante a turnê de demonstração em 2016.

Quase metade dos quase R$ 75 mil arrecadados irá para a construção do chassis e da carroceria, enquanto 18% será consumido pelo alto valor da bateria. A expectativa é fazer os testes finais em maio e colocar o carro para experimentação em julho.

Mais mobilidade
O PodCycle é muito mais focado em mobilidade do que no carro como produto de consumo, como explica o engenheiro mecânico Mahatma Marostica, de 31 anos. “Veículos elétricos são mais simples de produzir do que os a combustão. É uma tecnologia que vai migrar para as grandes montadoras, mas elas ainda vão demorar por causa do tamanho. A tecnologia já está madura e podemos pegar um atalho, oferecendo um bem de capital”, afirmou Marostica.

Isto quer dizer que ele não será colocado à venda. Depois da turnê pelo Brasil para tentar conquistar investidores de peso, o modelo elétrico será usado de forma compartilhada, ou seja, um aluguel curto apenas quando o usuário tiver necessidade, deixando o carro para o próximo quando finalizar a viagem.

Mesmo entre os norte-americanos, que criaram e propagaram a cultura do carro como um símbolo de ascensão social, o número de adeptos ao chamado “carsharing” deve dobrar de pouco mais de 1 milhão em 2013 para 2 milhões em 2016, segundo a consultoria Alix Partners.

No mundo inteiro, o número deve crescer dos atuais 6,5 milhões para 26 milhões em 2020, conforme estudo recente da Berg Insight. Mas no Brasil, o sistema de compartilhamento encontra dificuldades para se tornar comum.

Marostica vê uma mudança inevitável na forma como o veículo é usado comercialmente na sociedade. “É como a histórias das fitas VHS (antes do DVD), que custavam US$ 75 cada uma quando foram lançadas. Aí veio a Blockbuster e resolveu alugar em vez de vender. O carro elétrico vai seguir o mesmo modelo”, afirma.

Chassis ‘skate’
Mais do que um minicarro urbano, a ideia primordial do PodCycle é ser uma plataforma para diferentes usos e situações. A primeira carroceria, que lembra um Smart, foi desenhada voluntariamente por um estúdio de design, mas ele pode ser um “buggy” ou até um SUV.

Já no ano que vem, o grupo vai abrir todo o desenvolvimento da plataforma para quem quiser criar outras modalidades do PodCycle. No futuro, a fabricação dos veículos elétricos sobre o chassis modular brasileiro poderá ser feita pelo sistema de franquias.

“Não teremos uma grande montadora central. A experiência com produção de baixa escala e a modularidade permitem isso. O interessado em ter uma microfábrica receberá os conjuntos pré-montados diretamente dos nossos fornecedores e monta o carro”, explica o engenheiro.

De acordo com Marostica, o PodCycle é projetado para atender todas as exigências da legislação, como obrigatoriedade de airbags, freios ABS e normas de testes de colisão. Atualmente, cada modelo tem um custo estimado de R$ 95 mil.

Em 2017, o grupo espera ter mais unidades fabricadas para iniciar o serviço de compartilhamento em Florianópolis, dentro de um modelo que já é testado com carros a combustão.  O projeto já recebeu incentivo de fundos de amparo à pesquisa e de empreendedorismo.

 Fonte: http://g1.globo.com/carros/noticia/

Pontos acumulados na CNH serão informados em notificações de multas

nov 13, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

Medida deve facilitar a vida dos motoristas em relação aos pontos acumulados nos últimos 12 meses.

multas

A Comissão de Viação e Transportes aprovou na última quinta-feira (5) uma proposta que modifica o Código de Trânsito Brasileiro, exigindo que o total de pontos acumulados pelo motorista nos últimos 12 meses passe a constar em todas as notificações de multas de trânsito que o condutor receber.

Segundo o deputado Wadson Ribeiro, relator na comissão, o projeto de lei (PL) 792/15 permitirá que o condutor, ao receber a notificação da infração, possa ter acesso à informação sobre o número de pontos que ele já acumula com mais facilidade. Hoje, é preciso se cadastrar no site do Detran local e fazer uma consulta online a partir do número da CNH.

A proposta também determina que o motorista seja notificado sobre a possibilidade de ter sua habilitação suspensa ao atingir 20 pontos no período de um ano, permitindo que ele saiba com exatidão qual a situação de sua CNH imediatamente após o recebimento da notificação. “Ao tomar ciência da quantidade de infrações cometidas, o condutor dirigirá com mais atenção”, acredita Ribeiro.

O projeto ainda precisa passar pela análise da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania antes de ser sancionado.

Fonte: http://quatrorodas.abril.com.br/

 

Recalls aumentam 48% em relação a 2014

set 11, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

Nos sete primeiros meses de 2015, foram realizadas 70 campanhas de recall, contra 48 campanhas no ano passado.

recall

O número de recalls no Brasil aumentou 48% no período entre janeiro e julho deste ano quando comparado ao mesmo período do ano passado, de acordo com um levantamento realizado pela Fundação Procon-SP, um órgão vinculado Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.

Nos primeiros sete meses de 2015 foram realizadas 70 campanhas de recall, enquanto em 2014 o número foi de 47 campanhas durante o mesmo período. Além disso, o número de veículos afetados aumentou 130%, passando de 802.688 unidades no ano passado para 1.847.524 unidades neste ano.

Segundo o órgão, as fabricantes de automóveis que mais fizeram campanhas de recall neste ano foram Volkswagen e Jeep, com seis campanhas cada, seguidas por Ford e Land Rover, com cinco campanhas cada. Do total de 883 recalls realizados no Brasil entre 2002 e julho de 2015, 56 deles foram da Chevrolet, marca líder de campanhas de chamamento no País.

Fonte: http://www.icarros.com.br/noticias/

Hackers controlam remotamente carro com acesso à internet

ago 10, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

De um sofá, com um notebook ligado à internet, jovens controlaram direção, acelerador, ar-condicionado, som e limpador de vidro.

hackers_controlam_carro

Em exibição para a revista norte-americana Wired, dois hackers controlaram, remotamente, um SUV Jeep  Cherokee que trafegava por uma estrada de St. Louis, nos estado do Missouri, nos Estados Unidos. O teste, para provar que carros conectados à internet apresentam novos desafios de segurança para as empresas automotivas, aconteceu enquanto Andy Greenberg, jornalista da publicação, estava ao volante.

Enquanto trafegava pela avenida, Greenberg viu o carro, já controlado pelos hackers Charlie Miller e Chris Valasek por meio de uma falha de segurança no software do veículo, ganhar vida. Primeiro foi o ar-condicionado, que ligou sozinho. Depois o som. Aí os limpadores do para-brisa e, por fim, o acelerador, que parou de funcionar. Tudo foi feito remotamente, a partir dos notebooks de Miller e Valasek, que, como o carro, estavam conectados à internet.

Segundo os hackers, o objetivo do projeto é mostrar as vulnerabilidades dos sistemas de carros conectados à internet. Com o veículo em um estacionamento, os hackers mostraram conseguir controlar até o volante do carro. A Chrysler, dona da marca Jeep, foi informada da falha de segurança e deve divulgar uma atualização para o sistema do carro em breve. Valasek e Miller pretendem apresentar pelo menos parte dos métodos usados para controlar o carro remotamente em uma feira para hackers.

Fonte: http://economia.terra.com.br/carros-motos/

Honda faz recall de 477.580 unidades de Fit, City, Civic e CR-V no Brasil

jul 28, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

Falha em airbags pode ferir pessoas e até matar, diz fabricante. Chamado faz parte do recall de milhões de dispositivos da Takata.

air_bag_honda

A Honda anunciou nesta segunda-feira (27) a expansão do recall motivado por falhas nos airbags da Takata no Brasil. O novo chamado envolve 477.580 unidades de Fit, City, Civic e CR-V no país, após outros 300 mil veículos já terem sido chamados por este mesmo motivo em junho. Em todo o mundo, milhões de carros de diversas marcas foram atingidos por este mesmo problema.

De acordo com a marca, em colisões frontais em que as bolsas devem ser acionadas, “pode haver o rompimento da estrutura do insuflador, permitindo a projeção de fragmentos metálicos no interior do automóvel”, afirmou o comunicado.

Ainda segundo a fabricante, o defeito pode causar ainda danos materiais, lesões graves ou até mesmo fatais aos ocupantes e/ou terceiros. O atendimento aos proprietários desses veículos começa no próximo dia 3 de novembro, nas concessionárias da Honda no país, e o insuflador de airbag do motorista será substituído gratuitamente.

VEJA OS CHASSIS ENVOLVIDOS:

HONDA FIT (123.322 unidades)
- Ano/Modelo 2009, produzido entre 6 de maio de 2008 a 31 de julho de 2009
Chassi: de 9 Z100001 a 9Z127455
- Ano/Modelo 2010, produzido entre 5 de agosto de 2009 e 31 de agosto de 2010
Chassi: de AZ100001 a AZ220097
- Ano/Modelo 2011, produzido entre 10 de junho de 2010 a 22 de junho de 2011
Chassi: de BZ100001 a BZ124062
- Ano/Modelo 2012, produzido de 22 de junho de 2011 a 22 de dezembro de 2011
Chassi: de CZ100001 a CZ108818

HONDA CIVIC (219.013 unidades)
- Ano/Modelo 2007, produzido de 10 de janeiro de 2007 a 1º de setembro de 2007
Chassi: de 7Z20010 a 7Z218065
- Ano/Modelo 2008, produzido de 11 de julho de 2007 a 120 de dezembro de 2008
Chassi: de 8Z100001 a 8Z272815
- Ano/Modelo 2009, produzido 2 de julho de 2008 a 4 de julho de 2009
Chassi: de 9Z100001 a 9Z127320
- Ano/Modelo 2010, produzido de 9 de junho de 2009 a 1º de junho de 2010
Chassi: de AZ100001 a AZ220760
- Ano/Modelo 2011, produzido de 3 de junho de 2010 a 18 de novembro de 2011
Chassi: de BZ100001 a BZ136356

HONDA CITY (75.508 unidades)
- Ano/Modelo 2010, produzido de 21 de janeiro de 2009 e 1º agosto de 2010
Chassi: de AZ100032 a AZ133428
- Ano/Modelo 2011, produzido de 15 de junho de 2010 a 23 de junho de 2011
Chassi: de BZ100001 a BZ213443
- Ano/modelo 2012, produzido de 28 de junho de 2011 a 21 de dezembro de 2012
Chassi: de CZ200001 a CZ209150

HONDA CR-V (59.737 unidades)
- Ano/Modelo 2007, produzido de 13 de janeiro de 2007 a 3 de agosto de 2007
Chassi: de 7Z201712 a 7Z205988
- Ano/Modelo 2008, produzido de 23 de julho de 2007 a 29 de setembro de 2008
Chassi: de 8Z500001 a 8Z505942
- Ano/Modelo 2009, produzido de 4 de novembro de 2008 a 24 de setembro de 2009
Chassi: de 9Z500001 a 9Z504860
- Ano/Modelo 2010, produzido de 21 de maio de 2009 a 1º de outubro de 2010
Chassi: de AZ500001 a AZ510981
- Ano/Modelo 2011, produzido de 14 de outubro de 2010 a 24 de novembro de 2011
Chassi: BZ500001 a BZ512240

Fonte: http://g1.globo.com/carros/noticia

Volks quer poupar motorista de procurar vagas

jul 17, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

Imagine só você chegar em um shopping ou supermercado, descer na porta do local e não se preocupar com estacionar o carro. Não, não é uma propaganda de serviço de valet. Trata-se de um projeto nem tão futurista da Volkswagen de estacionamento autônomo divulgado no canal do conglomerado no youtube. O vídeo abaixo demonstra o funcionamento do V-Charge. O conteúdo está em inglês, mas dá para saber como seria a aplicação dessa tecnologia na vida real.

O V-Charge, como é chamado o projeto, é um recurso autônomo que permite que o veículo procure sozinho uma vaga para estacionar em uma garagem. E na hora de sair do local, o carro busca o condutor na porta do estabelecimento, tudo isso por meio de um aplicativo do smartphone.

A boa notícia é que a tecnologia foi concebida para ser utilizada com os equipamentos já disponíveis no mercado, como sensores e câmeras. Na verdade, são quatro câmeras grande-angulares e doze sensores hi-tech que mapeam todo o entorno do veículo e o ambiente em que ele trafega.

Com a ajuda de um mapa 3D da garagem, o sistema dispensa até o posicionamento GPS para usufruir das próprias referências de seu mapeamento para apontar a localização exata do veículo, desviar de obstáculos e pedestres e procurar espaços adequados para estacionar. Em complemento à comodidade, o V-Charge também pode ser programado para parar sobre vagas com recarregadores de baterias de veículos elétricos. Uma vez que a carga é completa, ele libera o espaço sozinho em direção a outro local para estacionar.

O projeto está sendo conduzido em conjunto com a Bosch e outras universidades e a empresa garante que os custos de produção estão sendo todos levados em conta para que seja possível oferecer o V-Charge ao mercado num futuro não muito distante.

Fonte: http://carroonline.terra.com.br/

Óculos inteligentes MINI – BMW

jul 10, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

Óculos inteligentes prometem fazer motorista dirigir melhor

Até agora a ideia dos óculos do Google, que usam microcâmera, recursos de realidade virtual e interação com telefone inteligente, não vingou. Tanto que a empresa decidiu reavaliar o projeto e estuda uma segunda geração. Existe também preocupação com a intimidade das pessoas que podem ser filmadas sem autorização.

Mas o conceito mostra potencial para ser usado por motoristas, pois o carro é um ambiente mais privativo. Pelo menos assim pensa a Mini, marca da BMW, queapresentou um protótipo no recente Salão de Xangai – o conceito teve problemas durante o evento, aliás. Com isso, ainda não há previsão de lançamento deste acessório de visão aumentada. Se produzido em grande escala, porém, teria preço estimado de um telefone celular topo de linha.

Foram citadas ao menos sete funções agregadas:

1- possibilidade de programar o destino antes mesmo de entrar no veículo — setas virtuais de auxílio à navegação, pontos de interesse ao longo da rota e até espaços livres para estacionar se apresentam para manter o motorista focado no tráfego;

2- informações sobre velocidade e seus limites na via, que são projetadas acima do perímetro do volante, sem ocultar os veículos à frente;

3- aviso de no caso de mensagem ou torpedo, que podem ser ouvidos nas hastes dos óculos;

4- visão de raios-X através de portas e colunas dianteiras por meio de microcâmeras instaladas externamente de tal modo a revelar objetos e áreas externas encobertas;

5- outras microcâmeras nos espelhos permitem monitorar a distância até a guia para evitar raspar as rodas e pneus em manobras de estacionamento;

6- projeção no alto do para-brisa, no lugar onde fica a faixa degradê, de textos para quando se está parado em congestionamentos;

7- um escâner ajudaria a localizar no escuro botões e comandos no teto do carro sem necessidade de ligar a iluminação interna, por vezes incômoda.

Óculos de realidade aumentada promete revolucionar auxílio ao motorista… mas protótipo não funcionou no Salão de Xangai

Ajustes

Ainda há alguns problemas a resolver. É preciso equacionar a exata posição dos óculos para ter as imagens identificadas perfeitamente com o mundo real, pois movimentos da cabeça, mesmo os menores, podem formar borrões para um lado ou outro e de cima para baixo. Exige, portanto, configuração prévia e calibração, antes de pendurá-los nas orelhas.

Embora não seja uma tecnologia madura para a vida prática dos automobilistas, a Sony e a Microsoft também desenvolvem acessórios com expedientes de realidade aumentada que podem ser embutidos em óculos.

Na verdade este conjunto de equipamentos chamados de vestíveis, a exemplo dos relógios de pulso inteligentes, ainda precisam passar pelo crivo de aceitação por parte dos consumidores.

Não se tem certeza se cairão nas graças de todos, a um preço razoável, ou se as baterias logo se esgotarão como acontece com celulares com muitos recursos.

Fonte: http://carros.uol.com.br/

Carro Autônomo Google nas Ruas

mai 15, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

GOOGLE COMEÇARÁ A TESTAR CARRO AUTÔNOMO EM RUAS DOS ESTADOS UNIDOS

carro_google

O Google anunciou nesta sexta-feira (15) que seu carro autônomo deixará as pistas de teste e começará a rodar por ruas norte-americanas em junho deste ano. Segundo comunicado divulgado pela empresa, porém, o carro sempre terá a bordo pilotos, que poderão assumir o controle caso algo dê errado, conforme exigem as legislações de trânsito.

Segundo a gigante de tecnologia, os carros serão testados em ruas da cidade de Mountain View, na Califórnia, a uma velocidade máxima de 40 km/h. O objetivo da nova fase de testes é entender como ele reage nas condições comuns de ruas. A equipe por trás do projeto quer, por exemplo, entender qual seria a reação do carrinho ao chegar no destino final e não poder estacionar no local esperado por conta de algum imprevisto – congestionamento ou obras, por exemplo.

O Google já tem em sua frota algumas unidades do Lexus RX450h equipadas com os programas necessários para a condução autônoma. Os autônomos que a empresa testa agora contam com a mesma tecnologia. E as expectativas são grandes: os Lexus já rodaram milhões de quilômetros em testes, o que representa o quanto um motorista americano típico dirigiria durante 75 anos. Durante os seis anos em que os Lexus do Google já rodam com a tecnologia,foram contabilizados apenas 11 acidentes, sendo que todos deles foram causados por outros carros, dirigidos por motoristas.

A empresa ainda não explicou se pretende comercializar os carros por conta própria ou se apenas cederá as tecnologias a montadoras. Também ainda não se sabe quando poderemos ter essas tecnologias sendo comercializadas normalmente. Isso porque, além de ainda estarem em fase de testes, os carros autônomos não seriam permitidos pelas legislações de trânsito. Atualmente, os carros podem oferecer funções semiautônomas – como frenagem e estacionamento automáticos -, mas ainda precisam ser majoritariamente comandados por uma pessoa.

O objetivo do Google é que a versão final de seu carro não tenha pedais nem volante, sendo completamente comandado por um computador. Segundo a empresa, os veículos seriam responsáveis por diminuir acidentes e congestionamentos, aumentar a qualidade de vida das pessoas, além de permitir que senhores de idade ou pessoas com dificuldade de mobilidade possam se locomover com mais facilidade.

Fonte: http://revistaautoesporte.globo.com/

Pneu do Futuro

mar 17, 2015   //   by admin   //   Atualidades do Mercado Automotivo  //  No Comments

pneu_do_futuro

A Goodyear aproveitou o Salão do Automóvel de Genebra para lançar um pneu do futuro. O modelo, apresentado pela companhia norte-americana, é capaz de transformar o calor em energia para abastecer carros elétricos.

Apesar de ser apenas um produto conceito por enquanto, a novidade pode mudar radicalmente a função dos pneus no futuro. Apelidado de BHO3, o pneu é equipado com material termo-piezoelétrico, que aproveita o calor do solo, do atrito e dos raios solares para gerar energia.

Os detalhes da fabricação e da própria tecnologia ainda são muito vagos. A empresa, em seu informativo oficial, declarou apenas que “o pneu gera eletricidade por meio da ação de materiais no pneu que capturam e transformam a energia criada pelo calor quando se flexiona e gira nas condições normais de condução”. A companhia ainda garante que o modelo seria mais durável do que os tradicionais.

Com o avanço da indústria automotiva e o crescimento da demanda por carros elétricos, esta pode ser uma importante alternativa para elevar a eficiência e autonomia destes veículos.

“Nós vislumbramos um futuro em que os nossos produtos se tornam mais ambientalmente corretos, versáteis e mais integrados com o veículo e o consumidor”, explicou Joe Zekoski, vice-presidente sênior e diretor técnico da Goodyear.

Fonte: www.ciclovivo.com.br

Páginas:12»